CAPÍTULO 7
Programação visual com Software Livre
EDIT LIN EDITORIAL S.L,  dos autores  Daniel Campos Fernández e José Luis Redrejo.  Prólogo de Benoit Minisini

<< Anterior Próximo >>

7.2 Leitura com XmlReader

Modelos de leitura

Ao menos existe três métodos para ler o conteúdo de um arquivo XML:

1. Um método se baseia em ler o arquivo do inicio ao fim. O litor vai gerando os eventos conforme entra e sai dos diversos nós do documento, e os gestores de eventos escrito pelo programador vão recebendo a informação. Esta forma de trabalho ainda não está     implementada no componente gb.xml, mas está previsto sua inclusão em futuras versões.

2. Outro método consiste em carregar o documento completo na memoria, para depois navegar por ele, com o qual obtém-se grande flexibilidade a custa de um consumo considerável de recursos do sistema. Este método está parcialmente implementado no Gambas através da classe XmlDocument, se bem que sua finalização não está prevista para futuras versões, e não é recomendado seu emprego para leitura de arquivos XML. No entanto, esta classe  já é utilizada para transformações XSLT, como veremos mais adiante neste capitulo.

3. Por último, o método que consome menos recursos e possui bastante simplicidade de aprendizagem e uso, que dispõe de um cursor, que só move-se para adiante, de nó em nó, e que em cada momento podemos emprega-lo para conhecer o conteúdo e tipo de cada nó. Se já trabalhamos com a plataforma .NET(TM) ou MONO(TM), nos será familiar a classe XmlReader e seus derivados, como XmlTextReader, que trabalha da mesma maneira. Este modo de trabalho encontra-se perfeitamente suportado no componente gb.xml através da classe XmlReader.

 






 
<< Anterior Próximo >>

HOME



Cópia literal

Extraído do livro “GAMBAS, programação visual com software Livre”, da editora EDIT LIN EDITORIAL S.L,  dos autores  Daniel Campos Fernández e José Luis Redrejo. Prólogo de Benoit Minisini

LICENSA DESTE DOCUMENTO


É permitido a cópia e distribuição da totalidade ou parte desta obra sem fins lucrativo. Toda cópia total ou parcial devera expressar o nome do autor e da editora e incluir esta mesma licença, adicionando se é uma cópia literal “Cópia literal”. Se é autorizada a modificação e tradução da obra  sem fins lucrativo sempre se deve constar na obra resultante  a modificação o nome da obra original o autor da obra original e o nome da editora e a obra resultante também deverá ser livremente reproduzida, distribuída, ao publico e transformada em termos similares ao exposto nesta licença.

Tradução

Cientista
 (Antonio Sousa)