CAPÍTULO 6
Programação visual com Software Livre
EDIT LIN EDITORIAL S.L,  dos autores  Daniel Campos Fernández e José Luis Redrejo.  Prólogo de Benoit Minisini

<< Anterior Próximo >>


6.7 Protocolo HTTP




Em um nível acima de todo o explicado encontra-se o protocolo HTTP, no qual não trata-se apenas de conectar a um servidor, e sim estabelecer um formato para a comunicação entre clientes e servidores. O protocolo HTTP é um dos mais utilizados ao longo da internet, dado que, entre outras coisas, é empregado para transmitir paginas web.

No protocolo HTTP, o cliente solicita ao servidor um documento em uma localização e este o devolve seguindo uma série de convenções acerca da codificação de caracteres, controle de erros, nível de compressão de dados, formato dos dados binários, etc.

O protocolo HTTP estabelece dois métodos principais para solicitar dados ao servidor. O primeiro, e mais comum por ser utilizado para receber paginas web no navegador quando escrevemos um endereço, por exemplo, é chamado método GET, no qual o cliente apenas solicita um endereço URL, devolvendo o servidor o resultado. O segundo método, chamado POST,  o cliente não apenas solicita a URL, e sim envia uma série de informações adicionais que o servidor processará antes de enviar o resultado. É o caso habitual quando preenchemos um formulário com dados em uma pagina web e pressionamos o botão enviar.

Gambas possui no componente gb.net.curl, um cliente chamado HttpClient, que provê acesso a servidores HTTP. O trabalho de negociação entre cliente e servidor, assim com a gestão de formatos, é tarefa interna do cliente HTTP, a aplicação que desenvolvemos só terá de preocupar-se em pedir um documento e recebe-lo.

O cliente HTTP pode funcionar de dois modos: o mais simples é o modo síncrono, nele que recebemos diretamente o documento após a chamada e os métodos GET ou POST; no segundo, assíncrono, o modo de trabalho se parece mais ao descrito para os sockets: com a aplicação em funcionamento iremos recebendo fragmentos do documentos em cada evento READ que uniremos em uma cadeia.

Criaremos um projeto de console para receber a pagina web http://gambas.gnulinex.org/gtk/.  Terá uma referência a gb.net e um módulo ModMain,com este código:


' Gambas module file


PUBLIC SUB Main()

DIM Http AS HttpClient

DIM sCad AS String


Http = NEW HttpClient

Http.Async = FALSE

Http.TimeOut = 10

Http.URL = "http://gambas.gnulinex.org/gtk/"

Http.Get()


IF Http.Status < 0 THEN

PRINT "Erro ao receber a pagina"

ELSE

PRINT sCad

END IF


CLOSE #Http


END


Em primeiro lugar definimos e criamos um objeto da classe HttpClient chamado Http. Colocamos sua propriedade Async a FALSE para que o processo seja síncrono, ou seja, que o cliente fique bloqueado enquanto recebe a pagina. Já que o bloqueio poderá durar um tempo excessivo, definimos também a propriedade TimeOut um tempo máximo em segundos antes de dar por fracassada a conexão e recepção de dados.

Indicamos a URL que contem o nome do servidor e o documento dentro deste.

Chamamos o método Get com o propósito de receber a pagina, com que o programa é interrompido até sua recepção até um erro ou até que se passem 10 segundos no máximo.

Lemos o valor da propriedade Status que, como no caso dos sockets ou do DNS, terá valor maior que zero quando está ativo, zero em caso de exito, menor que zero em caso de erro. Se houver um erro, se houver um erro, o indicamos pelo console. Se bem, lemos, como no caso do socket ou qualquer outro fluxo, empregando a instrução READ e mostramos o conteúdo da pagina recebida no console.

Finalmente, encerramos o cliente Http. Isto é necessário já que o cliente mantem viva a conexão com o servidor enquanto for possível, para fazer desta maneira a recepção de múltiplos documentos de um mesmo servidor.

O protocolo HTTP estabelece um tempo no qual o servidor mantem o socket conectado com o cliente. Se necessitamos receber várias páginas de um servidor ou realizar várias petições POST consecutivas, deveríamos empregar a instrução CLOSE só após todo o processo, com o qual se ganhará em velocidade e se utilizarão menos sos do sistema.

Enquanto o método assíncrono, o modo de proceder e exatamente o mesmo que com os sockets: esperar o evento Read para ir lendo fragmentos do documento em processo de recepção, ou o evento Error para entender possíveis problema de comunicação com o servidor.

A margem dos problemas físicos de comunicação, que detecta-se com o Error, o proprio protocolo HTTP pode especificar códigos de erro nos quais a comunicação/recepção de dados foi perfeita a nível físico, mas ocorreram erros lógicos. O caso mais comum é solicitar um documento que não existe e em cujo caso gera-se o erro 404. outros erros comuns pode ser elementos proibidos) ou o 500 (erro interno do servidor). Para detectar e tratar problemas, o cliente HTTP proporciona duas propriedades que podemos controlar já que é numéricas e devolve o código de erro (o valor 200 significa que tudo foi bem), e Reason, que é uma cadeia de texto explicativa do erro, proporcionada pelo servidor.

O valor devolvido em Reason depende do programa utilizado como servidor web e não é obrigatório. Por isso, a efeito de controle de erros, devemos empregar só o valor do código e usar Reason só a efeito de informação do usuário.

Os fragmentos HTTP recebem-se empacotados, de forma que existe um encabeçamento contendo meta informação do servidor e um corpo onde encontra alojado o documento em si,  a leitura mediante READ ou outros métodos para fluxos só acessam os dados do corpo. Para obter as cabeceiras, que podem ser utilizado para comprovar dados tais como a data e hora do servidor, o tipo de servidor informações específicas, podemos recorrer a propriedade Headers. Cada meta informação é uma linha, pelo que Headers devolvem uma matriz de cada uma das quais é uma informação procedente do servidor. Neste caso derivado do anterior mostra-se  ao final do encabeçado do servidor.


' Gambas module file


PUBLIC SUB Main()

DIM Http AS HttpClient

DIM sCad AS String


Http = NEW HttpClient

Http.Async = FALSE

Http.TimeOut = 10

Http.URL = "http://gambas.gnulinex.org/gtk/"

Http.Get()

 
IF Http.Status < 0 THEN

PRINT "Erro ao receber a pagina"

ELSE

READ #Http, sCad, Lof(Http)

PRINT sCad


PRINT "\n-------------Metadados------------------\n"

FOR EACH sCad IN Http.Headers

PRINT sCad

NEXT

END IF


CLOSE #Http


END


O protocolo HTTP permite ao cliente autenticar-se para receber determinadas páginas não acessíveis ao publico em geral. O usuário tem de dispor de um nome de usuário e uma senha. Para introduzir estes valores, há de especificar o nome de usuário e a propriedade User e a senha na propriedade Password, antes de chamar os métodos Get ou Post.

Por outro lado existe diversos métodos de autenticação, desde os menos seguros (envio de usuário/senha sem codificar) até alguns algorítimos mais seguros. Alem do usuário e senha, há de especificar o método de autenticação preenchendo o valor da propriedade Auth com algumas das constantes que representam os métodos suportados:

Neth.AuthBasic
Neth.AuthDigest
Neth.AuthGSSNegotiate
Neth.AuthNTLM

Ao desenvolver uma aplicação há de conhecer de antemão o método que necessitamos para acessar o servidor.

O protocolo HTTP também contemplam o uso de cookies, que é a informação que o servidor guarda no cliente e que é consultada de novo pelo servidor em ocasiões posteriores, antes de enviar um documento ao cliente. Pode servir por exemplo, para saber se a página já foi visitada  anteriormente  por  esse  cliente.  Por  padrão,  o  cliente  HTTP  não  aceita  os  cookeis

proveniente do servidor. Se especificarmos um caminho a um arquivo com a propriedade CookeisFile, estas ativarão-se e o cliente HTTP se nutrirá dos cookeis existentes neste arquivo para devolver informações ao servidor. Se a propriedade UpdateCookies for levada a TRUE, permitirá o acesso a escrita no arquivo de cookies, no qual os novos cookies serão guardados entre execução e execução do programa.

Este componente encontra-se em fase de desenvolvimento e futuras versões suportarão o uso de SSL e certificados.







<< Anterior Próximo >>

HOME


Cópia literal

Extraído do livro “GAMBAS, programação visual com software Livre”, da editora EDIT LIN EDITORIAL S.L,  dos autores  Daniel Campos Fernández e José Luis Redrejo. Prólogo de Benoit Minisini

LICENSA DESTE DOCUMENTO


É permitido a cópia e distribuição da totalidade ou parte desta obra sem fins lucrativo. Toda cópia total ou parcial devera expressar o nome do autor e da editora e incluir esta mesma licença, adicionando se é uma cópia literal “Cópia literal”. Se é autorizada a modificação e tradução da obra  sem fins lucrativo sempre se deve constar na obra resultante  a modificação o nome da obra original o autor da obra original e o nome da editora e a obra resultante também deverá ser livremente reproduzida, distribuída, ao publico e transformada em termos similares ao exposto nesta licença.

Tradução

Cientista
 (Antonio Sousa)