CAPÍTULO 5
Programação visual com Software Livre
EDIT LIN EDITORIAL S.L,  dos autores  Daniel Campos Fernández e José Luis Redrejo.  Prólogo de Benoit Minisini


Próximo >>

5.1  Sistema de base de dados


Um sistema de base de dados é uma aplicação que permite armazenar e consultar informações de forma simples. Quase todas as bases de dados atuais possibilitam a interação com o usuário ou programador, através de uma linguagem chamada SQL. É importante antes de trabalharmos com uma base de dados, conhecermos esta linguagem, mediante a qual podemos consultar e modificar os dados, além de permitir criar a estrutura da mesma (tabelas, campos, etc.).

Que está fora do alcance deste livro explicar a linguagem SQL, se bem que há algumas noções básicas ao longo dos exemplos exposto.

Existem muitas bases de  dados   diferentes,  mas  podemos  classifica-las  em  dois  tipos.   No primeiro, existe um programa chamado servidor de base de dados, que gestiona a informação armazenada. O servidor mantem diversas base de dados, controla as permissões de acesso de cada usuário e permite varias conexões simultaneamente a partir de diversos equipamentos cliente. A estrutura interna das bases é tarefa do servidor, não do programador da aplicação. Quer dizer, que não devemos nos preocupar de aspecto tais como a localização dos arquivos que contem cada base ou tabela. Um exemplo deste modelo é MySQL (http://www.mysql.org).

No segundo tipo, a base de dados não é mais que um arquivo alojado em nosso disco rígido. O programador haverá de localizar a base, manter as cópias de segurança e realizar a manutenção que proceda. Normalmente são bases de dados locais, acessível só a partir do próprio equipamento, e habitualmente não permitem mais de uma conexão de forma simultânea, ao menos em modo leitura/escrita. A mudança, consome muito menos recursos do PC, não requer a instalação e administração de um servidor de base de dados e muito mais fácil de transportar (por exemplo, pode ser gravado em um CD). Em GNU/Linux, a base de dados mais popular deste tipo, talvez seja o Sqlite (hhttp://www.sqlite.org).

È hora de desenhar nossa aplicação,  temos que ter presente dois aspectos fundamentais: o volume de dados a manipular e a simplicidade de administração requerida. Para uma aplicação pequena, como uma agenda pessoal, uma base de dados de Cds e DVDs, as informações relativa aos alunos de uma classe ou a administração de um pequeno comercio, uma base de dados Sqlite é suficientemente poderosa e com uma instalação simples. O cliente pode receber o programa e instala-lo com pouca ajuda adicional, a base pode ser criada na primeira vez que o programa iniciar sem configuração previa e o usuário pode fazer suas cópias de segurança periodicamente e leva-las pra casa em um CD  ou em um dispositivo USB para seguir trabalhando.

Para a administração, por exemplo, de um comercio grande, uma aplicação de gestão de pesquisas científicas, a consulta de alunos e inscrições em um instituto,  ou as informações de pacientes de um hospital, uma base como o Sqlite é totalmente inadequada, tanto pelo volume de dados armazenados, como pela necessidade da consulta e inserção de dados a partir de diversos postos de trabalho de forma simultânea. Aqui teremos que estudar que servidor de base dados é a mais adequada para nosso sistema. No ambiente de software livre, as duas opções mais aprovada e de maior prestigio são. MySQL e PostgresSQL (http://www.postgresql.org/). ambos os sistemas, possuem, versões com suporte comercial.





Próximo >>

HOME



Cópia literal

Extraído do livro “GAMBAS, programação visual com software Livre”, da editora EDIT LIN EDITORIAL S.L,  dos autores  Daniel Campos Fernández e José Luis Redrejo. Prólogo de Benoit Minisini

LICENSA DESTE DOCUMENTO


É permitido a cópia e distribuição da totalidade ou parte desta obra sem fins lucrativo. Toda cópia total ou parcial devera expressar o nome do autor e da editora e incluir esta mesma licença, adicionando se é uma cópia literal “Cópia literal”. Se é autorizada a modificação e tradução da obra  sem fins lucrativo sempre se deve constar na obra resultante  a modificação o nome da obra original o autor da obra original e o nome da editora e a obra resultante também deverá ser livremente reproduzida, distribuída, ao publico e transformada em termos similares ao exposto nesta licença.

Tradução

Cientista
 (Antonio Sousa)